A rotina de um comissário de bordo

Minha rotina como comissário de bordo começa na véspera do voo. Deixo a mala feita, o nécessaire organizado e o uniforme passado. Durmo 8 horas e acordo uma hora antes de sair para o aeroporto. O repouso é essencial para eu estar desperto e descansado. Nos primeiros seis meses de profissão, era muito difícil dormir de dia. Agora, fecho a cortina e durmo mesmo com o sol brilhando.

Chego ao aeroporto com 1h10 de antecedência e vou para a sala de briefing. Procuro meu voo e me apresento aos companheiros. Falamos sobre atualização de manuais de segurança, conhecemos a rota e organizamos o serviço dos passageiros, entre outros procedimentos. 

 

images

Toda a tripulação segue junta ao avião, 40 minutos antes do voo. Na sala de embarque, quando vemos os passageiros, é um momento mágico. Sempre me lembro de quando eu viajava e admirava os tripulantes, sonhando ser um deles.

Dentro da aeronave, checamos os equipamentos de segurança e revisamos o catering. Trinta minutos antes do voo, os passageiros começam a entrar. Tudo se vê no embarque: quem tem necessidades especiais, aquele que está com pressa, pais com bebês etc.

 

images

Quando a porta se fecha, realizamos as demonstrações de segurança e fazemos um procedimento chamado cabine livre, que consiste em ver se os passageiros estão com os cintos de segurança afivelados, mesas fechadas e pernas livres.

Depois da decolagem, quando os sinais de apertar os cintos de segurança se apagam, começamos a preparar os carros com as comidas e bebidas. Entregamos o serviço, recolhemos o lixo e caminhamos para ver se os passageiros precisam de algo. Baixamos as luzes da cabine.

 

images

Logo já vem a aterrissagem. Fazemos novamente o procedimento de cabine livre, nos sentamos e esperamos o pouso. Os funcionários de terra abrem a porta e nos despedimos dos passageiros. Aí chega a hora de descanso. Vamos ao hotel e temos de 24 a 30 horas para disfrutar de praia, sol e compras. Na volta, recomeça tudo de novo. Sou tão realizado que, para mim, não é trabalho: é paixão.