O que fazer em Punta Arenas, a cidade austral do Chile

O que fazer em Punta Arenas, a cidade austral do Chile

Apontada como o fim do mundo, Punta Arenas, na Patagônia chilena, é ponto de partida para a descoberta de novos mundos

Mariana Campos Alexandre Avilla

Postado Fevereiro 2020

Em 20 de setembro desse ano se completam 500 anos da façanha de Fernão de Magalhães, o português que mudou a história da navegação mundial ao dar volta ao mundo, descobrindo o estreito que leva seu nome. 

Punta Arenas se prepara para comemorar a data e para que você também não perca a ocasião, trazemos aqui algumas ideias do que você não pode deixar de fazer na cidade austral do Chile. 

Contemplar o Estreito de Magalhães

Já que as comemorações giram em torno da rota de passagem entre os oceanos Atlântico e Pacífico, um bom começo é apreciar a grandeza do Estreito de Magalhães do mirante do Cerro La Cruz. 

Para chegar lá, saia da Plaza de Armas e siga pela rua Fagnano por 15 minutos, ladeira acima. Do ponto mais alto da cidade, você também poderá avistar a grande ilha de Terra do Fogo e o Monte Sarmiento. 

Nos arredores do mirante tem alguns cafés e restaurantes onde também dá para curtir uma bela panorâmica do estreito. 

O que fazer em Punta Arenas, a cidade austral do Chile

Abordar a Nao Victoria

Se você quer sentir na pele o que experimentava o próprio Fernão de Magalhães a bordo de uma embarcação de 1520, então tem que visitar o Museo Victoria. Esta instituição privada conta com uma réplica exata do navio que foi capaz de completar a travessia que deu a volta ao mundo. 

A 7,5 km ao norte de Punta Arenas, no museu há, ainda, outras réplicas importantes para a história da navegação: o James Caird, barco aberto capitaneado pelo Ernst Shackleton que fez uma travessia pelo Atlântico Sul; o HMS Beagle, navio utilizado pelo naturalista Charles Darwin — ainda novo — para completar as suas pesquisas; e a escuna Ancud, a nave de guerra com que uma expedição chilena tomou posse do Estreito de Magalhães. 

Visitar o imperdível Parque Torres del Paine

Estar em Punta Arenas e não visitar as Torres del Paine é um erro que você não pode cometer! Do aeroporto da cidade, você pode tomar um ônibus até Puerto Natales. Lá, é só pegar uma estrada por 1,5 km e começar a sentir a Patagônia no rosto: pampa magallánico, guanacos — uma espécie de lhama — e ao longe, como pano de fundo, as enormes torres de pedra. A primeira parada é na caverna Cueva del Milodón, onde dá para observar de perto as grandes formações rochosas da região. Uma vez dentro do parque, o melhor é começar pelos mirantes, como o mirante do lago. O Lago Pehoé e a Cascada Paine também são boas opções. Se decidir ficar mais um dia, pode enriquecer a experiência fazendo a trilha que contorna o Lago Grey. Curta a flora e fauna do bosque nativo até chegar ao espetacular mirante do Glaciar Grey. Dificilmente você vai conseguir se esquecer de um cartão-postal como esse! 

O que fazer em Punta Arenas, a cidade austral do Chile

Conhecer a história da região no Parque del Estrecho

A 1,5 horas de carro ao sul de Punta Arenas, vale visitar o Parque del Estrecho, localizado em um lugar estratégico para a soberania chilena sobre o Estreito de Magalhães. 

No local está o Fuerte Bulnes, uma construção que foi chave para o patrulhamento da região a meados do século 19. O parque conserva torres de vigilância e há, ainda, um museu com uma moderna mostra multimídia que explica aos visitantes os processos de formação do território, as formas de vida que habitam nele e a história da presença humana na área. 

Daqui também é possível apreciar a imensidão do Estreito e avistar Puerto del Hambre. Para quem ama a natureza, tem também duas trilhas de fácil percurso para se adentrar no bosque nativo e conhecer as suas espécies: Sendero Bosque del Viento e Sendero de la Costa. 

Ficar lado a lado com os pinguins

Terra do Fogo, a grande ilha que fica do outro lado do estreito, esconde uma joia. Trata-se do Parque Pinguino Rey, uma reserva privada que protege uma colónia de pinguins-reis que chegou a morar na região em 2010. Ainda é possível observar uns 40 exemplares da espécie, sendo a única colónia estável na América do Sul, pois o pinguim-rei só habita na Antártica e as ilhas subantárticas. 

O passeio até o parque toma o dia todo, saindo de Punta Arenas por volta das 7h e retornando às 21h, aproximadamente. 

O que fazer em Punta Arenas, a cidade austral do Chile

Apreciar a imponência da arquitetura europeia da Patagônia

Pelo fato de ser um principal caminho de navios e buques mercantes entre o Atlântico e o Pacífico antes da abertura do Canal do Panamá, o Estreito de Magalhães atraiu inúmeros imigrantes, muitos deles atiçados também pela febre do ouro na região, entre 1883 e 1909. 

Acaudalados homens fizeram de Punta Arenas uma cidade europeia no fim do mundo. O passado glorioso da urbe tem dois marcos importantes: o Palacio Sara Braun e o Palacio Braun Menéndez. Ambas as construções de estilo francês dão conta da vida luxuosa das famílias europeias que chegaram a começos do século 19. Os dois casarões conservam o mobiliário original da época. 

Caminhar até o Faro San Isidro

A 75 km ao sul da cidade fica o último farol do continente. Para chegar até lá, é preciso fazer trekking a partir do fim do caminho ao sul do Fuerte Bulnes. O percurso é de 4 km, pelo que vai precisar de umas 4 horas para ir e voltar. Sem dúvida, caminhar com o Estreito de um lado e o bosque nativo do outro é uma experiência inesquecível. Protegido como Monumento Histórico Nacional do Chile, o farol teve seu apogeu na época em que os navegantes da rota comercial Liverpool-Valparaíso faziam escala em Punta Arenas. Inaugurado em 1904, ele é localizado em um ponto estratégico para orientar os navios em direção à cidade. 

O que fazer em Punta Arenas, a cidade austral do Chile

O que fazer em Punta Arenas?

10 dias na Patagônia chilena: um passeio com o navegador brasileiro Amyr Klink

Um guia para se aventurar (e encontrar paz) em Torres del Paine, na Patagônia